terça-feira, 22 de maio de 2018

Frente Brasil Popular prepara ‘Congresso do Povo’ e define calendário de lutas


  
.
A Frente Brasil Popular, reunida nesta terça-feira (22), debateu orientações e diretrizes para a preparação do Congresso do Povo e sobre o calendário de lutas do próximo período. Segue a síntese das propostas que deverão ser debatidas nas entidades nacionais e coletivos estaduais. Confira.

I- Congresso do Povo

O Coletivo Nacional realizou um balanço sobre o processo de construção do Congresso do Povo, e produziu algumas orientações para a construção do Congresso nesta conjuntura:
1- Valorizar o Congresso do Povo como um processo: há um balanço bastante positivo do desenvolvimento do Congresso até o momento. Está em curso um processo de capilarização do Congresso do Povo, que deverá ser intensificado no próximo período transformando-o em um instrumento de politização e organização da sociedade.
2- Alargamento do prazo para realização das atividades municipais: há a avaliação de que o calendário inicialmente proposto acabaria por interromper o processo de capilarização em curso. De modo que os Congressos estaduais seriam somente um espaço de aglutinação da militância ao invés de expressarem o acúmulo desse processo de mobilização.
Deste modo, o Coletivo Nacional propõe a ampliação dessa etapa de Congressos locais e municipais até 15 de Agosto, antes do período eleitoral.
3- Combinar com a luta politica e calendário de mobilizações: reafirmou-se a necessidade desta iniciativa do Congresso do povo estar sintonizada como a luta política geral, em especial com a defesa de Lula livre, bem como deverá ser um instrumento para impulsionar as mobilizações do nosso calendário.
4- Congressos do Povo Estaduais: os estados tem autonomia para agendar os seus Congressos estaduais, mas devem levar em consideração essa perspectiva de ampliação do tempo para realização das atividades locais e municipais.
5- Congresso do Povo Nacional: dentro deste quadro a etapa nacional do Congresso do Povo ficaria adiada para após o período eleitoral. Estamos abrindo um processo de consulta aos estados e às entidades nacionais para que se manifestem quanto ao melhor período para realização desta atividade, tendo como parâmetro o mês de Novembro de 2018 à Março de 2019. Até o dia 1 de Junho os estados e entidades devem enviar seu posicionamento para o email da (secretaria@ferntebrasilpopular.org.br).
6- Congressos Regionais, temáticos e etapa preparatória: com essa perspectiva de adiamento para evitar o refluxo do processo organizativo seria possível pensar em atividades regionais (aglutinado estados) ou plenárias temáticas (aglutinando por segmentos) do Congresso do Povo onde houver esta demanda. Há também a possibilidade a ser aprofundada de realizarmos um Encontro Preparatório da etapa Nacional do Congresso do Povo.

II- Calendário de Lutas

O coletivo também se debruçou sobre o calendário de lutas, em especial na identificação das principais iniciativas políticas do próximo período. São elas:
1- Fortalecimento da Vigília “ Lula Livre” em Curitiba:
A vigília permanece sendo a principal trincheira de resistência e denúncia à prisão do Presidente Lula. Nesse sentido, devemos continuar apoiando a vigília de todas as formas possíveis. As caravanas que se dirigirem à Curitiba deverão entrar em contato com o Florisvaldo (41 9134-1284) para definir o melhor período para seus deslocamentos.
A operativa nacional ficará responsável por estabelecer uma comunicação mais direta com a coordenação do acampamento, bem como organizar uma escala semanal das organizações nacionais para se responsabilizarem por enviar seus principais dirigentes para a vigília.
2- Greve dos Caminhoneiros:
Ontem foi desencadeada a Greve nacional dos caminhoneiros que tem como pauta principal barrar o aumento dos combustíveis. Só na semana passada foram 5 reajustes seguidos. Sabemos que está política de preços está diretamente ligado ao plano de privatização da Petrobrás. Nesse sentido devemos apoiar a Greve e nos envolvermos na sua construção onde for possível.
3- Privatização da Eletrobrás e Petrobrás:
O processo de rapina do patrimônio nacional continua a acelerar-se com o final do governo Temer. A Eletrobrás e a Petrobrás continuam a ser dilapidadas, a primeira correndo o risco de ser inteiramente privatizada. Ao longo do mês de Junho os eletricitários e os petroleiros estão propondo um conjunto de mobilizações para impedir o fim do controle estatal sobre esses setores estratégicos. A Frente Brasil Popular deverá se envolver diretamente nestas mobilizações.
4- Semana Nacional de Mobilização por Soberania, Direitos e Lula livre – 5 a 10 de Junho:
Entre os dias 5 e 10 de Junho haverá um conjunto de mobilizações que estão descritas no calendário que segue mais abaixo. Faremos desta semana, um período de intensas mobilizações pela defesa da Soberania, dos Direitos e por Lula Livre. No dia 8 de Junho, marco de dois meses de resistência à prisão de Lula, está prevista a realização de um grande ato em Curitiba. Nesta mesma data devermos preparar atividade de agitação e propaganda nos estados.
5- Copa do Mundo e São João – Junho e Julho:
Devemos aproveitar os jogos do Brasil na Copa, bem como as festas de São João para realizarmos atividades de agitação e propaganda das nossas bandeiras como forma de dialogar com a sociedade.
6- Dia Nacional de Mobilização – 10 de Agosto:
As centrais sindicais estão apontando para o dia 10 de Agosto a construção de um dia nacional de mobilização. A Frente Brasil Popular deverá desde já procurar se somar na organização desse dia de luta nos estados.
7- Ato por Eleições Livres e pelo direito de Lula ser candidato – 15 de Agosto
No dia 15 de Agosto o PT registrará a candidatura de Lula. A Frente Brasil Popular deverá organizar um ato unitário reafirmando a legitimidade da candidatura Lula, envolvendo todos os setores que defendem Eleições Livres.
8- Frente Ampla em defesa da Democracia e por Lula Livre
Articular a organização de um manifesto envolvendo amplos setores da sociedade para denunciar a prisão de Lula e realizar um ato político nacional de lançamento desse manifesto.

III- Calendário
– Junho – Mobilizações contra a privatização da Eletrobrás e Petrobrás
– 5 a 10 de Junho: Semana Nacional de Mobilização por Soberania, Direitos e Lula livre
5 à 7 de Junho – Acampamento pela Reforma Urbana e Lula livre em Brasília
7 de Junho – Leilão do Pré-Sal – Atos contra a privatização
8 de Junho – Ato de dirigentes sindicais em São Paulo para definir a pauta dos trabalhadores
8 de Junho – Dois meses de prisão de Lula – Ato em Curitiba e AgitProp nos estados
1 Semana de Junho – Marchas estaduais saindo de PE, CE, TO.
10 de Junho – Início da greve de fome nacional para pressionar o STF.
– 12 de Junho – Seminário Nacional da Greve dos Petroleiros (Pela redução do preço da Gasolina e Diesel; Pelo emprego e retomada da carga máxima de produção; Fim da importação)
– Junho e Julho – Aproveitar os jogos da Copa e São João para fazer agitação política
– 10 de Agosto – Dia Nacional de Mobilização
– 15 de Agosto – Ato por Eleições Livres e pelo direito de Lula ser candidato
Lula Livre!

Nenhum Direto a Menos
Secretaria Frente Brasil Popular
Madalena frança Via Blog do esmael.

Escritor José Nivaldo Júnior lança romance em Surubim


José Nivaldo Júnior lança “Tudo pelos Ares”, 
no próximo dia 31 de maio, em Surubim, 
no Restaurante Capitu (Reprodução/ Divulgação)
Do CORREIO DO AGRESTE (Fernando Guerra)
charlesnasci@yahoo.com.br

O novo romance do escritor surubinense José Nivaldo Júnior, "Tudo Pelos Ares" terá seu lançamento em Surubim realizado no Restaurante Capitu no próximo dia 31 de maio, a partir das 20h. Ele que é publicitário de renome, historiador e membro da Academia Pernambucana de Letras, enveredou pela vida literária com o best-seller "Maquiavel, O Poder". Em seguida deu continuidade à sua herança de escritor complementando o romance de seu pai, o médico José Nivaldo Barbosa, "O Atestado da Donzela" ao publicar "O Atestado da Donzela 2". Depois veio "O Julgamento de Deus", também romance e, agora "Tudo Pelos Ares – Amor e Cólera em Tempos de Lava Jato".

Sempre bem acolhido pela crítica e com sucesso de vendas inquestionável, José Nivaldo Júnior lançou inicialmente sua nova obra no dia 12 de abril, ao receber a maior comenda instituída pela Casa Legislativa da capital, a "Medalha do Mérito José Mariano". Outros lançamentos foram feitos em livrarias recifenses, sempre com sucesso de vendas e muito boa receptividade pela crítica literária. Em artigo publicado no Diário de Pernambuco, de autoria de seu presidente Alexandre Rands, ele evidencia qualidades no escritor José Nivaldo que o podem levar à Academia Brasileira de Letras.

"Tudo Pelos Ares" é um romance ambientado num cenário contemporâneo de delações, crimes financeiros, ocorrido em alto nível social, com todos os condimentos necessários para torná-lo uma obra de impacto entre o público leitor. A trilogia amor-paixão-sexo vivenciado pelos personagens Tino, JB e Elisa é o leitmotiv em torno do qual se desenvolve uma trama de mistério, suspense, violência. O inexplicável assassinato da figura central do triângulo amoroso, a belíssima Elisa desencadeia todo um conjunto de ações que visam o seu desvendamento e mantém a curiosidade do leitor conectado ao romance até seus últimos capítulos.
Madalena França via Mais Casinhas

MARÍLIA DE LULA



Resultado de imagem para Marília de Lula

Por Raymundo Costa

Lula começou a prestar atenção em Marília Arraes em agosto do ano passado, na sua última visita a Pernambuco, mas nunca imaginou que ela fosse tão longe. Vereadora pelo PT do Recife, neta do lendário Miguel Arraes - três vezes governador do estado, antes e depois do regime militar -, Marília é uma ameaça real à reeleição do governador Paulo Câmara (PSB). Nas pesquisas de opinião já aparece empatada tecnicamente com o ex-ministro Armando Monteiro (PTB), que esperava liderar a oposição na eleição de 7 de outubro. Marília, no entanto, pode não ser candidata, se vingar uma articulação nacional para juntar PT e PSB na eleição para a Presidência.

Marília duvida que o governador Paulo Câmara tenha cacife para levar o PSB a apoiar o PT na campanha ao Palácio do Planalto, embora Pernambuco seja a seção mais influente do partido, pois não disporia do mesmo carisma e influência de seu padrinho político, o ex-governador Eduardo Campos, morto em acidente aéreo na campanha presidencial de 2014. Marília e Campos são primos, os dois netos de Arraes, mas já estavam afastados desde antes dela declarar que votaria em Dilma e não em Eduardo na eleição de 2014.

Segundo Marília, o governador tenta atrair o PT por puro oportunismo, pois quer o tempo de TV do partido e o ex-presidente Lula a seu lado - mesmo preso em Curitiba, ele mantém prestígio em sua terra natal. "Eles [o PSB] começaram a ficar desesperados para se aliar ao PT e, de quebra, retirar uma candidatura que vai para o segundo turno e ameaça o projeto de poder que eles têm no Estado".

‪A questão regional e a candidatura do PT para presidente‬

Marília conta que as palavras de Lula em relação a sua candidatura sempre foram "de incentivo e de animação com a mobilização da militância do PT de Pernambuco". No último fim de semana ela reuniu cerca de 4 mil pessoas num ato de apoio a sua candidatura. No interior, Marília apresenta-se como a "candidata do Lula" - e Pernambuco e Bahia são os Estados que deram mais votos ao PT nas últimas eleições. Uma avaliação feita pelo PSDB baiano estima que Lula pode transferir até 80% dos votos que teve no Estado.

A candidata é realista: "Eu creio que tem sim uma vontade de fazer uma aliança nacional com o PSB, que o PSB apoie o candidato do PT à Presidência", diz. Mas entende que o PSB está vendendo terreno na lua. E que ao fim e ao cabo o PT apoiará sua candidatura. "O que a direção nacional nos diz é que temos que agrupar na construção da candidatura própria aqui". Até porque o "objetivo da candidatura da gente é fazer a denúncia do que está acontecendo no Brasil, todas as candidaturas do PT têm como orientação fazer essa denúncia e defender o presidente Lula. Essa será uma campanha mais política do que eleitoral. O eleitoral vai ser consequência do trabalho político que for feito". Só algo "transcendente" poderia mudar esse quadro, acredita Marília.

O PT é gato escaldado quando o assunto é retirada de uma candidatura estadual própria. Na eleição de 1998, empenhando em entrar no eleitorado carioca, Lula vetou a candidatura do deputado Vladimir Palmeira e apoiou o candidato do PDT Anthony Garotinho, a fim de contar com a presença do ex-governador Leonel Brizola em seu palanque. O PT do Rio nunca se recuperou do trauma. Em 2004 a cúpula do PT tentou retirar a candidatura de Luiziane Lins em Fortaleza em troca do apoio do PCdoB, mas recuou quando o episódio ganhou dimensão nacional. Luiziane foi eleita prefeita.

A bola da vez é Marília. Ela tem oposição interna - o senador Humberto Costa acha mais conveniente o PT se aliar a Paulo Câmara. Mas é da trama nacional que vem o maior perigo. Na cúpula do PT considera-se difícil o apoio do PSB. Mas considera-se possível que o partido decida não apoiar ninguém no primeiro turno. A presidente do partido, Gleisi Hoffmann, tem dito que Pernambuco é assunto para ser resolvido pelos petistas de Pernambuco. A definição será no encontro estadual marcado para 10 de junho, quando o PT decidirá sobre política de alianças e a candidatura própria ao governo.

Na prática, a candidatura de Marília pode levar a um impasse do ponto de vista nacional devido à diferença de estratégias eleitorais. Por enquanto ela se mantém de pé, apesar da força gravitacional das articulações em curso que podem abater suas pretensões. Um bom exemplo é a movimentação que envolveu os governadores petistas da Bahia, Rui Costa, do Ceará, Camilo Santana e o de Minas Gerais, Fernando Pimentel.

O ajuste, que terminaria por envolver o governador do Maranhão, Flavio Dino (PCdoB), previa que Marcio Lacerda trocaria sua candidatura ao governo mineiro pela vice de Pimentel. E tinha a digital de Ciro Gomes, numa aparente tentativa de juntar o Nordeste em torno de sua própria candidatura ao Planalto. Não foi por outro motivo que Lula desautorizou o PT a discutir um Plano B para as eleições, em carta dirigida à senadora Gleisi Hoffmann.

Enquanto isso, Marília Arraes continua rodando o Estado como a "candidata de Lula". Em Pernambuco - afirma - "a esquerda está unida. Quem está dividida é a direita, entre o palanque que assume que participou desse processo [impeachment] e outro [PSB] que finge que nada aconteceu e não teve nada com isso, quando na verdade foi um dos seus articuladores".

Gleisi e os governadores do PT
A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, tem almoço marcado com os cinco governadores do partido amanhã, em Brasília. Ela vai repassar os recados de Lula, que não gostou nada de ver os executivos estaduais petistas saltitando em torno de um Plano B para o partido.

O MDB chora pitangas
No documento "Encontro com o Futuro", a ser divulgado hoje, o MDB chora as pitangas da impopularidade: "Não podemos nunca nos esquecer de que o governo que provocou a crise, com seus erros, foi durante quase todo o tempo aprovado pela maioria da população, e que o Governo que corrigiu aqueles erros, com resultados inequívocos, é reprovado pela maioria".

Raymundo Costa é repórter especial de Política, em Brasília. Escreve às terças-feiras
E-mail: raymundo.costa@valor.com.br
Madalena França Via blog do Manuel Mariano

Governo Temer-PSDB extingue Fundo Soberano, a ‘poupança’ do Brasil criada por Lula


  |
A temerária e irresponsável de decisão do governo golpista de Temer-PSDB de acabar com o Fundo Soberano do Brasil (FSB), que funcionava como uma espécie de poupança para o país em momentos de crises externas e de proteger o valor do Real, foi anunciada nesta terça-feira (22). O governo golpista  quer utilizar os recursos do fundo para o pagamento da dívida pública. O plano estratégico que havia sido formulado para o fundo previa sua consolidação até 2023.
O FSB chegou a ter mais de R$ 26 bilhões de reais em ativos. Nos últimos meses, porém, foi rapidamente dilapidado, chegando a apenas R$ 500 milhões. O último resgate importante feito pelo governo golpista foi de R$ 3,5 bilhões, na primeira semana de maio.
Apesar de não figurar entre os maiores fundos do mundo, o FSB possuía caráter duplamente estratégico, não apenas para financiar medidas anticíclicas como para ajudar a regular o valor de câmbio do Real. Com a extinção do fundo, na prática os recursos que seriam utilizados para investimentos em áreas de interesse público são redirecionados para o sistema financeiro, isto é, prioriza-se os banqueiros em detrimento dos interesses da população e de soberania nacional.
Com a descoberta do pré-sal, o potencial de crescimento do FSB era enorme. Porém, com o desmonte do sistema de partilha e a entrega do petróleo, esse crescimento ficou comprometido. “Claro que tal fato em nada justifica que o fundo seja extinto. Ele deveria ser fortalecido, não o contrário”, afirma o economista, Marcio Pochmann, ex-presidente do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicável).
O especialista conta que o Brasil, quando realizou sua abertura econômica nos anos 1990, o fez sem ter criado, concomitantemente, mecanismos de proteção contra crises externas. Assim, o país se viu vulnerável com a chegada das crises do México (1994) e Asiática (1997), por exemplo.
“Foi para reduzir esta exposição brasileira às instabilidades do capitalismo que o Fundo Soberano foi criado. Ele é composto com excedentes comerciais que garantem liquidez de caixa em moeda forte para o país enfrentar turbulências externas e defender seu dinheiro de ataques especulativos”, explica Pochmann.
Segundo a economista e professora da UFRJ Esther Dweck, a ideia do fundo soberano tem a ver com regulação do câmbio, que complemente as reservas internacionaiscom custo mais baixo, mas também possui um papel de estabilidade fiscal.
“[O Fundo Soberano] nutre o papel de poder armazenar quando sobra arrecadação. Foi criado em 2008 porque teve uma arrecadação muito forte e ao invés de usar todo o dinheiro para abater dívida, guardava-se no Fundo Soberano. Em 2012 foi usado quando faltou arrecadação. No Brasil tinha função de estabilizar a parte fiscal, não só câmbio”, explica Dweck.
*Com informações da Agência PT de Notícias

Azeredo, a exceção que confirma a regra da Justiça política


azer
Eduardo Azeredo  foi condenado hoje por supostos crimes cometidos em 1998, objeto de denúncia formal, aceita em dezembro de 2007 pelo Supremo Tribunal Federal.
Passaram-se, portanto, quase 11 anos e quatro desde que, em 2014, o processo foi enviado para a Justiça mineira, em razão da renúncia do ex-presidente do PSDB ao mandato e, em consequência, do foro privilegiado.
Azeredo era – e agora, já nem isso – um zumbi político desde então, sem serventia para nada, a não ser a que lhe encontraram agora: a de ser a “prova” da “imparcialidade” do Judiciário.
Foi para o matadouro, como se lançam bois às piranhas no Pantanal.
Alguém, bem parecido com ele, disse em uma gravação que, para certos serviços,  tinha que ser alguém “que a gente mata ele antes de fazer delação”.
O baile segue e o Judiciário vai  cumprindo seu papel de ser, como sempre, o garantidor do status quo neste país.
Nem que para isso tenha de condenar e prender bandidos de sua predileção.
Madalena França Via Tijolaço



Governo acaba de reduzirem 25% o litro de diesel e gasolina que passa agora e ter 750 ml ironiza Requião.


O governo Michel Temer bate ‘biela’ na tentativa de desmobilizar a greve dos caminhoneiros. Promete zerar a CIDE (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) no preço do diesel, mas não se compromete em frear a política de reajuste nas bombas.
A ideia do CIDE “zero” representaria uma redução de apenas 6% por litro do combustível diesel, contra aumentos acumulados de até 56% nos últimos dez meses.
A medida eliminaria a CIDE somente do diesel, portanto continuaria a incidir sobre o preço da gasolina.
Em suma, Temer faz jogo com os números para manter a política de aumento da Petrobras atrelado ao dólar e cotação internacional do petróleo. Isto atende aos interesses de acionistas privados, que visam ao lucro, em detrimento do consumidor final.
O senador Roberto Requião (MDB-PR) criticou a desastrosa política de preços da Petrobras. Segundo ele, com o pré-0sal poderíamos ter a gasolina mais barata do mundo. Com a entrega do pré-sal temos uma das mais caras do mundo. “É preciso resgatar (recomprar) a Petrobras”, disse.
Requião ainda ironizou a proposta de “redução” no preço dos combustíveis: “O governo acaba de reduzir 25% no litro de diesel e gasolina. O litro passa a ter 750 ml.”
Madalena França com:
Informações do Blog do esmael

22 de maio é o Dia do abraço. Segue aqui os meus...

Resultado de imagem para dia do abraço

O abraço tem poder curativo, é o estase da saudade, tem a temperatura do amor, e o calor da amizade.
Não tem como dar sem receber, e ninguém consegue abraçar fielmente se não for de verdade. Um abraço falso é automaticamente sentido por alguém com uma certa sensibilidade. Um abraço falso tem o peso de cem toneladas, por isso não se consegue abraçar por muito tempo, quem a gente não quer bem.
Nunca abrace sem verdade pois esse gesto é o primeiro a lhe denunciar.
Mas se você gostar realmente de alguém,  tem por este (a) amizade verdadeira, sentimentos como gratidão, amor ou amizade real, não deixe de fazê-lo sempre. É muito gostoso, saudável e estimulante a demonstração de afeto que se entrega num abraço. Por isso abrace muito e passe boas energias para o outro. Abrace por amor, por paixão, por ternura, por gratidão, por real perdão, só não abrace de mentirinha. Assim, sinta-se feliz, fazendo outros felizes.
Por isso nesse dia do abraço, eu queria abraçar muitas pessoas. Escolhi mandar dois abraços que foram gostosos de mais em vida. Segue ao céu, um abraço para meu Pai Antonio Lucas, e meu sobrinho Rafrônio França ,filho de coração. Como eu queria poder abraçar vocês outra vez!
E estendo esse abraço a todos os meus familiares, a quem não podemos mais abraçar.
No mundo dos vivos, eu abraço todos os meu amores maiores: minha mãe, filhos, irmãos, sobrinhos, e parentes...
Um grande abraço solidário ao guerreiro do Brasil martirizado em Curitiba por nos defender: Um Abraço Presidente Lula!
Abraço calorosamente aos meus grandes e raros amigos. São poucos, porém preciosos de mais pra mim.
E por fim , a todos os abraços que eu nunca esqueci.
Sintam-se todos abraçados. Tão somente aqueles a quem eu verdadeiramente abracei com amor e por amor ou grande amizade, que é a mais perfeita forma de amar.

Por Madalena França.

Modelo Morre aos 24 anos e deixa uma lição: Liberte-se de esteriótipos!

Estou tratando desse assunto em sala de aula. Trabalhando interdisciplinarmente  o direito à vida e a saúde e teatro em arte. Estamos criando uma peça que trata justamente disso. Das ditaduras atuais impostas pela sociedade. A busca do corpo perfeito , da magreza, muitas vezes desregrada. É importante ser felizes como somos. Saber se amar, libertar-se de preconceitos. Esse depoimento serve de lição aos jovens e até para todos nós. Comer bem não é comer muito. Mas ficar sem comer é suicidar-se um pouquinho a cada dia. Vejam que depoimento Emocionante:

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up
Vinicius Adorador
19 h
Chorei ao ler :👉 curta Vinicius Adorador.
Uma vez a Nara disse: "Eu queria apenas comer arroz, feijão e um bife, mas não posso pois vomito tudo. Vocês que podem comer comam, valorizem a vida, parem de ficar sofrendo por qualquer besteira. Só damos valor nas pequenas coisas quando não podemos mais fazê -las."
.
E quando ela precisou do respirador artificial e depois voltou ela disse: "Como é bom respirar novamente, um ato tão simples que eu valorizo imensamente."
.
Essa menina passou por nossas vidas nas redes sociais pra nos ensinar tantas coisas. Que missão mais linda aqui na Terra, certamente foi cumprida com louvor.
.
Muitas vezes abrimos mão do nosso bem estar ou até das nossas vontades para atender os padrões impostos pela sociedade: fique linda; fique magra; fique gostosa; poste isso; ou não poste isso; não beba; não saia tanto; não curta tanto; não confie tanto; não; não; não... Afffffff!!!!! E a gente, pra se enquadrar nessa idiotice, acaba ficando retraída, mudando a vontade, deixando de fazer com medo da desaprovação alheia, do dedo apontado, dessa merda de julgadores virtuais donos da "razão" e cheios de inveja.
.
Então amigos, vamos viver!!!! Poste na sua rede social o que quiser, busque o seu bem estar individual, não abra mão da sua saúde. "A beleza só importa nos primeiros 15 minutos, depois vc tem que ter algo a mais para oferecer." Não seja linda do jeito da outra, seja linda do seu jeito, fisicamente ou não, quem define isso é vc!!!! Não abra mão de buscar a sua felicidade, esteja ela aonde estiver... Vai sim, vai lá buscar, vai com medo mesmo!!!!
.
"Que a vida é trem-bala, parceiro.
E a gente é só passageiro prestes a partir…"
Fonte: publicação no facebook.
.
Descanse em paz, Nara!!!! 💔


Sem chance, Temer ‘joga a tolha’ e põe Meirelles na ‘fogueira’ — que também não tem chance


  
Michel Temer ‘jogou a tolha’ nesta terça (22). Disse que não concorre à “reeleição” — por motivos óbvios, falta de votos, é claro. Mas pôs o ex-ministro dos bancos Henrique Meirelles na ‘fogueira’, lançando-o para bater chapa com o senador paranaense Roberto Requião na convenção nacional do MDB, em julho.
Temer é o homem mais odiado do mundo, segundo todas as pesquisas de opinião. É mais impopular do que o pior sanguinário ditador africano. Meirelles, por sua vez, para usar a expressão do jornalista Ricardo Cappelli, não sabe diferenciar um porco de uma cabrita.
Portanto, ao MDB restará duas alternativas: 1- segurar a “cabrita” para o PSDB mamar, isto é, lança Meirelles na tentativa de entregar o MDB velha de guerra os neoliberais tucanos; ou 2- lançar candidatura própria após a disputa interna Meirelles x Requião.
Requião jura que tem 80% do apoio dos convencionais emedebistas.
Madalena França via blog do Esmael

Morre o jornalista Alberto Dines


  | 
O jornalista Alberto Dines, fundador do Observatório da Imprensa, morreu nesta terça-feira (22), aos 86 anos. Dines estava internado há dez dias no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O hospital informou que o jornalista morreu às 7h15, vítima de deficiência respiratória. O velório deve ocorrer na capital paulista. O veterano jornalista deixou como marca a inovação e o rigor no exercício do jornalismo.
Jornalista, professor universitário, biógrafo e escritor, Dines teve destaque em vários veículos de comunicação. Começou a carreira no jornalismo em 1952 na revista A Cena Muda e no ano seguinte participou da fundação da revista Visão para acompanhar reportagens da área artística. Em 1957 trabalhou na revista Manchete, de propriedade de Adolpho Boch. Dois anos depois foi diretor do segundo caderno do jornal Última Hora, de Samuel Wainer. No ano seguinte, dirigiu o jornal Diário da Noite, dos Diários Associados, pertencente a Assis Chateaubriand. Em 1962 virou editor-chefe do Jornal do Brasil, onde permaneceu até 1973.
No ano seguinte foi professor-visitante na Universidade de Colúmbia, nos Estados Unidos, de onde voltou para ser diretor da sucursal da Folha de S. Paulo, no Rio de Janeiro. Em 1980, deixou o jornal e passou a colaborar em O Pasquim.Mudou-se para Lisboa em 1988, onde lançou a revista Exame, do Grupo Abril. Ainda em Lisboa lançou o Observatório da Imprensa, uma entidade sem fins lucrativos dedicada a avaliar a qualidade do jornalismo brasileiro. Dines retornou ao Brasil em 1994. Em 1998, lançou o Observatório da Imprensa na TV Educativa do Rio de Janeiro. O programa foi, posteriormente, produzido pela TV Brasil.  O Observatório da Imprensa ficou no ar de 1998 a 2016.
*Com informações da Agência Brasil
**Foto – EBC Divulgação
Madalena frança via Blog do esmael